20 de março de 2010

maria campaniça (homenagem às ceifeiras)


Debaixo do lenço azul com sua barra amarela
os lindos olhos que tem!
Mas o rosto macerado
de andar na ceifa e na monda
desde manhã ao sol-posto,
mas o jeito
das mãos torcendo o xaile nos dedos
é de mágoa e abandono...
Ai Maria Campaniça,
levanta os olhos do chão
que eu quero ver nascer o sol!

Manuel da Fonseca (Santiago do Cacém, 1911-1993)


     Imagens: Google Imagens

10 comentários:

Pérola disse...

Boa noite meu querido.
Eu vim te agradecer a visita e admirar seus versos.
Parabéns pela postagem.
Posso te fazer uma pergunta?
Em q país estão comemorando o dia dos pais?
estive vendo q muitos dos blogueiros estão festejando e fiquei curiosa rs.
Um beijo grannnnnnnnnnde.

quicas disse...

Olá, Pérola amiga (que sorte, ter uma Pérola como amiga!...), agradeço sua visita e esclareço: na Europa (penso que não só em Portugal), o Dia do Pai comemora-se dia 19 de Março, dia de S.José.
Beijo grande e bom fim-de-semana, minha querida e generosa amiga!

ღPat.ღ disse...

quicas,

... o olhar que trás a luz.
Você sempre muito especial com as palavras, deixa a imagem sempre mais bonita com a harmonia de teus posts.
Meu amigo querido, eu é que agradeço poder estar sempre aqui prestigiando tuas inspirações.
Obrigada pelo carinho e simpatia comigo sempre. Sabes que adoro tuas palavras.
Um Beijo especial para si.
Que amanhã seu domingo seja ainda melhor.

Pat.

Valvesta disse...

Amigo pois então seja lá qual for teu dia que tu sejas muuuuuiiiiito feliz, eu creio que és.
obrigada por tuas palavras lindas no meu espaço. sua postagem de hoje é lindissima,parece algo foclorico, essses azulejos entaõ são lindissimos, eu particularmente sou apaixonada por algumas coisas que vcs tem por ai, parece que tenho alma portuguesa, vou colar e guardar com carinho, um abraço e bom descanço. beijos na familia.

Delirius disse...

Oh Quicas, que me perdoe Manuel da Fonseca, mas achei (enquanto por lá andei) as "marias campaniças" bem alegres e bem dispostas, mondando também a mágoa e o abandono sempre que necessário ;))
Brincadeira :))) Adoro o Alentejo e as suas gentes. E é bom não deixar morrer a memória. Obrigado por teres essa preocupação.

Beijo, também pelo teu comentário lá no meu Tango, uma grande paixão minha. :))

Virgínia do Carmo disse...

Mãos e rostos como estes merecem palavras!

Abraço

rosa-branca disse...

Olá amigo, lindo poema que também se pode dizer ser uma homenagem á ceifeira. Beijos

Delirius disse...

Obrigada Quicas. Muito gentil.
Noite sossegada.
Beijo.

Ricardo Calmon disse...

MARIA CAMPANIÇA ,DOMINGO MEU EM OVERTURE SE FEZ,ALÉM DE DÍGITOS TEUS QUE ME FAZEM HOMEM,CADA VEZ MAIS EM FORMA ÁRVORE TRANSLÚCIDA DE VOCE ATRAVÉS,EM EXALAR TEU ENTRE SUSSURROS E BRADOS BERROS À VIDA!

VIVA LA VIDA ,MEU IRMÃO AMADO !

María disse...

Gracias, por devolverme la visita, puedes volver a mi blog, siempre que lo deees.

Saludos.