17 de março de 2010

sonhando acordado

Tarde perdida
nos dias, sem dia:
incerto algarismo na conta
incontável,dos dias
perdidos,
sem tardes...

Gesto sumido
no vago, num dia
incerto,
dos dias, sem tardes
perdidas...

oh, dias ausentes, de presença!
  - um dia?!

Foto: Olhares da Gui
 

13 comentários:

Delirius disse...

Cheio de metáforas, mas com mensagem bem profunda!...

Está belo este poema, Quicas!

Beijinho.

Malu disse...

Há tantos dias ausentes de presenças,meu querido!
Mas há que se vivê-los mesmo assim, dando a eles a presença de alguma figura...

beijinhos para si

Valvesta disse...

Quicas boa tarde, acho que ai já é tarde. Sei que tudo tem um caminho, a semente desta tarde também, seu olhar nesta lua inspira poesia, o carinho deixado por caminhos nossos são sementes de germinação a cem por um, que nenhuma barreira possa impedir de germinar essas sementes. uma onda de amor espalhasse e de mãos dadas, juntos contemplamos a beira mar, na palavra diz que o amor de Deus seria derramado abundantemente nos corações, dando-nos forças a viver as dificuldades. já disse tanto e poderia ter dito com tão pouco: amo muito o amigo.

ღPat.ღ disse...

quicas,

Sentir presente e ausente por demais...
Tens um modo especial que nos vicia em teus posts. É sempre harmonia plena de palavras, imagem e vivaldi é bom demais ouvir.
Um beijo meu amigo e obrigada por todo teu carinho.

Helena disse...

Há dias assim...
Mas há também os que se fazem claros, repletos de tardes, certezas e presenças...
Bonito, bonito!
Grande abraço, Quicas!

Lídia Borges disse...

Tarde perdida nos dias sem dia...

E quantas vezes é preciso chamar o dia para as nossas tardes se materializarem.

Um prazer ler este poema...

L.B.

Anderson Fabiano disse...

querido poetinha,

nunca esqueça que o sonho é antesala da realidade. assim, se sonhamos, preparamos nossos amanhãs.

meu carinho,
anderson fabiano

ps: espero você no meu novo espaço:
letras-profanas.blogspot.com

MA disse...

Hola amigo , bello poema , bella música y bellas imágenes, preciosa entrada de blog.

Un placer visitar tu casa,
gracias por tu visita a mi querido blog .

Abrazos de amistad de MA para ti.

Pérola disse...

Seus poemas são bem interessantes e dizem muitas coisas nas entrelinhas.Eu gosto, pq fico refletindo e vou descobrindo alguns instântes parecidos com os meus.Me descubro em suas palavras algumas vezes.
Ausencia presente é terrível,apurrinha tem horas rs.
beijos meu lindo.
Obrigado pela sua visita.
Uma noite linda de muita paz.

Maria disse...

Quem sabe... um dia...
Gostei do poema.
E agradeço ter-me indicado o caminho até aqui.

:)

Maria disse...

Sonhos descrente... sonhar com um ausente.......
"...Dorme enquanto eu velo…
Deixa-me sonhar…
Nada em mim é risonho.
Quero-te ao menos em sonhos,
já que não posso te amar."

Quincas, obrigada pela visita.
Grande beijo.

Maria disse...

Sonhos descrentes, com quem vive ausente......
..."Dorme enquanto eu velo…
Deixa-me sonhar…
Nada em mim é risonho.
Quero-te ao menos sonho,
já que não posso te amar."
Quincas, obrigada pela visita.
Grande beijo

Ricardo Calmon disse...

De Ipanema para O Minho,envio energias ,após reerguer esse,levado por amigos,sob as águas da Cachoeira dos Primatas,revivi e reergui-me,pura vida,a torrente primeira das cascatas da vida,após coisas dela aussi!Aqui vim,para mãos tuas beijar,amado poeta da vida,que tanta energia inoculas em cardíaco e mentes minhas!

huhu te tributo e reverencio!

viva la vida