mãezinha

Mãezinha, ó meu amor,
Mãezinha, dom do Senhor,
Fica comigo para toda a vida!

Os teus olhos, ó mãezinha,
São brilhantes, mais que o céu;
Quanta inveja, o Sol, sustenta
Num olhar teu!

As tuas mãos, ó mãezinha
São ternura, suave calor:
Se me embalas, em teu peito
Respiro amor!

Teu sorriso, ó mãezinha
Minha vida ilumina;
Meu caminho, junto a ti,
É doce sina!

Os meus versos, ó mãezinha,
São amor, mais que trovar:
Sou feliz por ter-te minha,
Por ti cantar!


Foto: Google Imagens

Comentários

Lídia Borges disse…
Este poema tocou-me de forma muito especial.

Tem palavras que são crianças
Num belo jardim a brincar
Sob o olhar atento da mãe
Que não deixa de as mimar.

Lídia Borges
lostefound disse…
tão belo este poema :) merecedora é a remetente ^^

Beijo grande Papá***
Sonhadora disse…
Meu amigo
Que maravilhosa e sentida homenagem.

Deixo um beijinho
Sonhadora
Mariz disse…
Salvé!

Vim a este post porque nunca é demais escrever-se sobre quem nos deu ou devolveu ao mundo; já que acredito que não vivemos apenas esta vida que se atravessa.
Viemos para viver em "(COM)UNIDADE" e
sair de um ventre é talvez mais doloroso o que ser mãe.
É a partir daí que o físico, como templo da alma, começa a sofrer; é o 1º passo no Caminho, para que nos anos que se vão seguir, se possa superar ou ultrapassar certas (des)virtudes que desviaram ser humano da sua rota - do projecto anímico a que cada um/a se propôs e se preparou vir cumprir e sobretudo DAR TESTEMUNHO, até se formar num Ser Perfeito.
É pois a maternidade o motor que impulsiona a evolução do Ser humano.

Não costumo"andar por aí" desenfreadamente a comentar blogs para ser comentada depois...
Não utilizo a net, senão para me divertir um pouco criando do básico que aprendi sózinha, a alindar os meus blogs. E sobretudo colocar ao "serviço" da "com+unidade" bloguista o que venho aprendendo e sobretudo experimentando no terreno e vendo os resultados.
Ao ler alguns dos seus comentários por onde passei, e sendo eles pouco dados a superficialidades - o que não é muito normal por aí... vim ver quem se tratava e escrevia o quê?!

Habitualmente não comento - porque não me interessa de todo - blogs/posts sobre sensualidades, ou afins, ou sobre políticas, ou vidas clubísticas, ou o que se desvie do auto-conhecimento, ou Planeta, ou espiritualidade - sem doutrinas ou filosofias tontas - mas do puro que brote da alma humana.... DAQUILO QUE É ESSENCIA(L) ao Ser e não ao "ter" e suas ramificações.

Bonito poema de "criança" gostei muito.


Até sempre...
Mariz

Mensagens populares deste blogue

coroai-me de rosas

ao nosso amor, um poema, hoje, cristal

13 de Junho de 1948 - Carolina

Montanha

À melhor professora do mundo