retrato de mulher


Algo de cereal e de campestre
Algo de simples em sua claridade
Algo sorri em sua austeridade

Sophia de Mello Breyner Andresen in "O nome das coisas" (1977)



Comentários

Valvesta disse…
Olá querido amigo, voltei.
Chego aqui e fico encantada com tanto amor... coração grande.
Obrigada por seu carinho pra mães,
aqui no proximo domingo será nosso dia também. Beijos com desejo de boa semana.
Marliborges disse…
Vim conhecer seu espaço e encontro esse poema expressivo e visceral. Amei. O carinho que temos por nossas mães é universal e a linguagem é uma só: o amor. Lindo blog, voltarei mais vezes. Beijo grande.
Pat. disse…
A mulher e suas faces e fases...

Sabe encantar meu querido quicas. Palavras lindas para uma segunda-feira.
Beijos com carinho e agradecimento por tua presença.
Ricardo Calmon disse…
Li poema esse,em pergaminho de papel de arroz, como se fossem,crisálidas translúcidas,dígitos teus pareciam,assim como o piscar das estrelas,sussurrado, em escrita forma,por um homem de bem e poeta,ciente de missão sua ,sempre,competentemente praticada ,em vida essa.
Huhuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu
até poeta virei,para tributar um amigo irmão,que tanto amo e respeito!

viva la vida
MA disse…
Precioso poema y imágenes lindas música hermosa, estimado amigo quicas,un placer visitar tu casa y gracias por tus hermosos comentario dejados en mi querido blog ,tu blog amigo.

Besos de MA
Pérola disse…
Ola meu amigo lindo!!!
Sua postagem está maravilhosa,e a foto belíssima.
Muito obrigado pelo seu carinho amado.
Um beijo imwenso.
Maravilhoso!

beijooo.

Mensagens populares deste blogue

coroai-me de rosas

ao nosso amor, um poema, hoje, cristal

13 de Junho de 1948 - Carolina

amor infindo

ternura