chamo-Te porque tudo está ainda no princípio

Chamo-Te porque tudo está ainda no princípio 
E suportar é o tempo mais comprido. 

Peço-Te que venhas e me dês a liberdade,
 
Que um só dos teus olhares me purifique e acabe.

Há muitas coisas que eu quero ver.
 

Peço-Te que sejas o presente.
 
Peço-Te que inundes tudo.
 
E que o teu reino antes do tempo venha.
 
E se derrame sobre a Terra
 
Em primavera feroz precipitado.

Sophia de Mello Breyner Andresen


Foto: Olhares da JU (http://olhares.aeiou.pt/juaninha8)

Comentários

Pat. disse…
Estar aqui é um sentir... lê-lo é um deleite... tê-lo como amigo é um prazer inenarrável... amado amigo Quicas, saudades de tuas palavras e feliz por estar aqui.

Chamo-te!
Beijos meu querido.
Maria disse…
Sabes que amo o Neil Diamond?
Do meu tempo...
A poesia de Sophia é intemporal.
Obrigada por este momento.

Beijo, Quicas
angela disse…
Tem momentos assim em que o tempo fica comprido demais...
Lindo o poema.
beijos
OutrosEncantos disse…
Este poema Quicas, tem uma profunda mensagem, diria mesmo um apelo, um grito!
Há muito que o tenho guardado, e sempre que o releio, guardo-o de novo...!
É belissimo, como toda a poesia de Sophia, e trouxeste-(mo)num momento em que tenho uma dor e uma dúvida enorme aqui, dentro do peito!
Agora emocionaste-me, Amigo!
Beijos!
Marilu disse…
Querido amigo, esse poema é em forma de apelo...muito lindo..Beijocas
Graça Pereira disse…
Sophia era alguém que transpirava Poesia numa alma mística que acreditava no transcedente e não se coibia de o mostrar.
Lindo este poema.
Beijo amigo
Graça
Mar Arável disse…
Não há morte nem princípio
AC disse…
Creio que, neste momento, todos perfilhamos a invocação da Sophia...
Boa escolha!

Abraço
Valvesta disse…
Lindo, tem um Q de profetico, anuciante, Maranata!, Um prazer vir aqui, e ler tuas escolhas com tanta clase e cultura, beijo teu coração amigo querido.
Fatima Guerra disse…
Querido Quicas

Maravilhosos e profundos versos, alma exposta,palavras sob a luz dos sentimentos ...
Tudo o que vc toca se ilumina.
Quando vc chega, tudo fica muito mais bonito.
Beijo
Fátima Guerra
Janita disse…
Belo e mistico como toda a poesia desta mulher incomparável e arrojada que foi Sophia de Mello Bryner.
Quando suportamos um fardo demasiado pesado para as nossas forças,o tempo parece nunca mais ter fim.
Só quem já passou por isso pode compreender este apelo:
"Peço-Te que venhas e me dês a liberdade"
Amigo Quicas deixo-lhe um beijo com toda a minha admiração e amizade.
Janita
Simone Huck disse…
E seu eu pudesse pedir, pediria pra acalmar minha alma, levar minhas tempestades.
Amei ler a prece em poema.
Obrigada pela visita !!
OI TUDO BEM!ESPERO QUE SIM!PASSEI PARA TE DESEJAR UM OTIMO FINAL DE SEMANA E PARABENIZAR PELO SEU CANTINHO QUE ESTA ADA DIA SHOW.BJOS

Mensagens populares deste blogue

coroai-me de rosas

ao nosso amor, um poema, hoje, cristal

13 de Junho de 1948 - Carolina

amor infindo

ternura