dez réis de esperança

Se não fosse esta certeza 
que nem sei de onde me vem,
 
não comia, nem bebia,
 
nem falava com ninguém.


Acocorava-me a um canto,
 
no mais escuro que houvesse,
 
punha os joelhos à boca
 
e viesse o que viesse.


Não fossem os olhos grandes 
do ingénuo adolescente,
 
a chuva das penas brancas
 
a cair impertinente,


aquele incógnito rosto,  
pintado em tons de aguarela,
 
que sonha no frio encosto
 
da vidraça da janela,


não fosse a imensa piedade 
dos homens que não cresceram,
 
que ouviram, viram, ouviram,
 
viram, e não perceberam,


essas máscaras selectas,  
antologia do espanto,
 
flores sem caule, flutuando
 
no pranto do desencanto,


se não fosse a fome e a sede 
dessa humanidade exangue,
 
roía as unhas e os dedos
 
até os fazer em sangue.


António Gedeão


Foto: "É sol", Olhares da Gui (http://olhares.aeiou.pt/GuiOliveira)

Comentários

lis disse…
Oi quicas
nao sei se me engano mas parece que a casa foi repaginada , está muito bonita e aproveito pra levar comigo o selinho comemorativo dos 100 primeiros amigos.

"dez reis ... é pouco,nao é?
quero mais esperança Gedeão! rs
acocorar num canto me dá vontade também ate ver acabar a violencia do meu país , a corrupção e o descaso com nossa gente...
mas minhas manhãs são ainda bonitas, chego a janela e vejo um lindo céu azul dourado pelo sol , avioes passando e deixando só rastros , a chuva que provoca barulhos aqui dentro .. entao me refaço e vou a luta rs
boa escolha Joaquim adorei
deixo meus abraços e um bom domingo
Marilu disse…
Querido amigo, seu blog está lindo, estou levando comigo o selinho. Tenha uma linda semana. Beijocas
Sonhadora disse…
Meu querido amigo
Um lindo poema de António Gedeão, como sempre escolhe muito bem, com sensibilidade.
obrigada pelo carinho que me deixa sempre, considero-o um amigo querido.

beijinhos
Sonhadora
Hanukká disse…
Querido, esse é um dos meus favoritos, obrigada pela partilha.
António Gedeão o grande sonhador, sonhava com fé.... bjos no teu coração querido amigo,obrigada.



Senhor Deus
agradeço pelos vales
por caminhar comigo neles
pela fé que me dás
pelo amor, e pela graça
Senhor Tu sabes...
mas eu sei
que em Ti posso todas as coisas
Mireille Amaral disse…
Esperança... precisamos em dose industrial para aguentar os tempos que aí vêm.
Mais uma vez adorei o seu "post" e com uma banda sonora brilhante... um dos meus grupos preferidos e com um dos melhores vídeos! Beijocas
olá meu amigo Quicas,como vai,tudo bem? muito lindo o poema ,vale a pena passar aqui em seu blog,parabéns ao autor e a vc meu amigo,bom domingo,abraços.
Lídia Borges disse…
É comovente!
De algum lado nos chega sempre uma razão suficientemente forte para não desistirmos, para ficarmos, recomeçarmos ainda que com ferramentas gastas.

António Gedeão, tão "desigual"!...

Um beijo
FlorAlpina disse…
Olá Quicas,
Desconhecia o poema, obrigado pela partilha!
Dez reis de esperança, chegam nestes melancolicos, para não roer as unhas até fazer sangue...

Abraço dos Alpes
lolipop disse…
Olá amigo!
Parece que este Outono nos está a desanimar a todos...resta-nos alguma esperança...dez réis dela...que seja!
Bonita a escolha!
Ternuras
Quicas querido

Uma única moeda de esperança...ah, que tesouro!, fosse muito ou fosse pouco, porque a esperança não se pode avaliar.
Obrigada por mais esta preciosidade.
Beijo
Fátima Guerra
Nilson Barcelli disse…
Belíssima escolha poética.
Gostei de reler.
Caro amigo, boa semana.
Abraço.
Maria Teresa disse…
Sempre ela, a esperança, no fundo do baú, felizmente!
Grande abraço, Quicas.
Rolando disse…
olá. estive aqui. tudo blz? muito legal. apareça por lá. abraços.
Pat. disse…
Amado Amigo Quicas,

Venho correndo para agradecer teu carinho e te deixar um beijo desejando uma semana linda. Perdão, mas minha vida está na famosa correria dos dias... assim que terminar meu projeto, venho com mais calma.

Não consigo nem lê-lo, neste momento. mas não esqueci de ti.

beijos com muito carinho
pat.
Fernanda disse…
Amigo Quicas!

Dolorosamente forte este poema de António Gedeão.

Deixo um beijo e duas palavras.


"Teci com fios de luz
O manto que te dei
Para te abraçar
Cada vez
Todas as vezes
Que te lembrares de mim."

Maria José Areal

neli araujo disse…
Olá, Quicas!

Muito bonito poema de António Gedeão!

Boa escolha, amigo!

Já estava com saudades de passar por aqui e ler tanta coisa bonita!

Obrigada pelo carinho em meu blog!

Uma beijoca,

Neli
Janita disse…
Gosto muito de António Gedeão e adorei vê-lo aqui, meu querido amigo Quicas. Parabéns!
Ainda, que só um niquinho,( dez réis) é a esperança que nos impele a seguir em frente, contra ventos e marés...
Beijinho
Janita
Querido Quicas,
vim deixar uma prece pela sua alegria.
Beijo
Fátima Guerra
Véu de Maya disse…
Quicas, deixo-te um abraço...Um poema do António Gedeão, tão clarividente e actual...fiquei dois minutos a ouvir a tua música...

Véu de Maya
Olá boa tarde amigo Quicas,tudo bem com vc? passei pra deichar um abraço e desejar um ótimo fim de semana,abraços.
Maria disse…
Amigo excelente escolha, lindo poema. Também eu gosto muito dos poemas de António Gedeão.
Tenha um excelente fim de semana
bjs
Maria
Fernanda disse…
Amigo querido Quicas!

Reli o poema, por ser tão belo.
Esperança...
que nunca nos falte!!!

Obrigada amigo pelas suas palavras maravilhosas e seguramente imerecidas deixadas lá No Rau.
Comovo-me sempre com os amigos que vêem claramente as minhas boas intenções, que são tão simplesmente, as de partilhar "tudo" o que eu possuo, mesmo que (neste caso) só virtualmente.

Beijinhos
Maria disse…
Amigo voltei para dizer que vou levar o seu selinho para o meu cantinho de "Selinhos - presentes dos amigos".
bjs
Maria
Laura disse…
Este nosso António Gedeão é cá um ARTISTA!... Cada letra uma verdade, cada canção uma saudade!

Beijinhos e um sábado feliz.. laura
alfa disse…
Muito bonito Quicas, este poema do António G.bjinhos

Quicas gostava imenso que visitasse uma amiga que tem um blog chamado - Canto do Ego ou então Mamas à Lupa, bjinhos
Fernanda disse…
Querido amigo Quicas!

Obrigada!
Também por ter verificado o meu erro, sim!
É claro que transcrevi mal.
Agradeço que o faça sempre,mesmo muito.

Beijo

Mensagens populares deste blogue

coroai-me de rosas

ao nosso amor, um poema, hoje, cristal

13 de Junho de 1948 - Carolina

Montanha

À melhor professora do mundo