5 de novembro de 2010

eu não sei



Eu não sei de destino, de fado, de vida,
Eu não sei de mentira, eu não sei de verdade,
Eu não sei nem de encantos de felicidade,
Eu não sei nem de amor nem de mágoa sentida!

Eu não sei de sorriso, alegria perdida,
Eu não sei de tristeza, eu não sei de saudade,
Eu não sei estar inteiro, tampouco metade,
Eu não sei de regresso, eu não sei de partida!

Eu não sei mais de claro e escuro na cidade,
Eu não sei de teus olhos, de luz prometida,
Eu não sei de desejo, nem se paixão arde!

Eu não sei da palavra que meu canto invade,
Eu não sei do silêncio, da folha caída,
Eu não sei de esperança: É cedo?... É tarde?...


Foto dos Olhares da Ju (http://olhares.aeiou.pt/juaninha8)

35 comentários:

OutrosEncantos disse...

Céus Quicas, que poema mais belo!
Mas parece um desapontamento muito sentido!
E eu espero que seja "apenas" um fascinante poema, talvez o melhor que te li.
Beijo. Parabéns.

Janita disse...

Querido amigo.
Sei que é um poema. Mas, os poemas são o reflexo do sentir do poeta.

"Esta "Negação",este nada saber, vindo de um poeta pleno de certezas do seu bem-querer.
Pode traduzir desencanto ou cansaço.
Ou será somente o seu desejo
ardente, de tudo querer?"

Amigo Quicas, adorei este seu poema lindo e sei que continua a saber bem o que quer e para onde vai!
Beijinho e bom fim-de-semana.
Janita

Mariana disse...

Uma negação q nos ensina muito.
Tu és um poeta que proporciona uma boa e agradével leitura.
bom fim d semana.

Marilu disse...

Querido amigo, muitas vezes o "não" significam sim. Belo poema. Tenha um lindo final de semana. Beijocas

lolipop disse...

Boa noite Quicas!
Esta "Negação" merece uma afirmação...temos aqui um poema belíssimo, escrito por um poeta, talvez um pouco desalentado...
Beijos e muito grata pelo seu miminho.

Malu disse...

E são nesses "não saberes" que vamos filosofando a parte mais doce da VIDA...
Abraço, meu amigo

poesias maria do carmo disse...

As veses não sabemos mesmo,não é meu amigo?gostei muito,parabéns pelo texto.Sabe que as veses eu também não sei.Abraços carinhosos.

AC disse...

Sempre aquela sensibilidade ímpar, a delicadeza das palavras, o profundo sentir...
Gosto sempre de o ler!

Abraço

Sonhadora disse...

Meu querido amigo

Como esse poema, falou do que sinto.


Não sei da palavra que meu canto invade,
Não sei do silêncio, da folha caída:
Não sei de esperança, se é cedo, se é tarde

Adorei...nunca é tarde para sentirmos, ainda que seja em negação.

beijo
Sonhadora

Beijinhos
Sonhadora

Fátima Guerra (Mellíss) disse...

Quicas querido

Suas palavras são como lamparinas dentro da noite, são chamas pequeninas tremulando a iluminar ...São estrelas brilhando na amplidão do céu, são os clarões da alvorada que se faz anunciar ...
Você, querido amigo, é Verso Vivo, Poema Vivo a nos encantar.
Sou imensamente grata pela sua amizade, cativa do seu carinho, refém do seu talento e sensibilidade.
Beijo
Fátima Guerra

Maria disse...

Amigo maravilhoso poema.
Eu sei, que é um grande poeta que toca a alma de quem lê.
"A poesia é o sentimento que sobra ao coração e sai pela mão."
(Carmen Conde)
Tenha um excelente fim de semana
beijinhos
Maria

Fernanda disse...

Querido amigo Quicas!

Estranho este não saber de quem tudo sabe acerca do seu amor.
Deve ter sido escrito num dia menos azul...só isso!

É um belo poema! Lindo!
Beijinhos



PS. Agradeço muito toda a ajuda que me tem sido dada.

Imagem e Poesia disse...

Tens aqui mais uma bela obra, um belo escrito. Adorei.
Beijinhos e fica feliz
Ceiça

Triste Flor disse...

E eu não sei porque demoro tanto pra vir aqui... acho que não sei do meu tempo... que é tão denso... lindo demais poeta, beijos.

Thayanne Freitas disse...

Não sei de mais nada, só sei que gostei!!

:D

Ana Martins disse...

Boa noite Joaquim,
será um enorme prazer vê-lo no lançamento do meu livro!

Falando do soneto, não sei se já lhe disse que é o género poético que mais gosto e, este está lindo, perfeito!

Beijinhos,
Ana Martins
Ave Sem Asas

vidaslife disse...

Lindo poema, não sei, grande verdade realmente muitas vezes já não sabemos de mais nada. Tem sentimento neste poema. Abraços.

Laura disse...

Pois bem...Eu também não sei, ou antes, nada sei dos teus dias, das tuas tardes, dos teus sonhos, mas, acredita que desejo o melhor que a vida te possa dar, e que possas escrever um Eu sei, cheio de alegria e com todos os sentidos.

Um abraço da laura

OutrosEncantos disse...

Vim reler-te.
Escreveste um poema soberbo.
Espero que estejas bem amigo.
Vim também deixar-te um abraço e desejar-te uma semana feliz.
E já agora... um bjin :-)

Fátima Guerra (Mellíss) disse...

Quicas

Que as estrelas permaneçam até o amanhecer.
Tenha uma semana feliz!
Carinho,

Fátima Guerra.

Virgínia do Carmo disse...

A negação é um valioso ponto de partida para a procura de algo maior...

Um abraço

Jorge disse...

Boa noite QUICAS,
Um sentimento de desengano, numa pessoa tão tranquila, atenta e solidária como o meu amigo é, será inusitado? Talvez não.
Questionar faz parte da essência da poesia.
Um abraço, amigo
J

Graça Pereira disse...

Uma negação que seja talvez e apenas uma interrogação... num belissimo poema que aglutina todos os sentimentos da nosa vida...
Do melhor que aqui li e que me deixou extasiada!
Parabens!
Beijo e uma semana cheia de respostas.
Graça

PRECIOSA disse...

Mas sabes que ama
Porque tens um coração que bate...
Me encantei com seu blog
Se permites voltarei sempre aqui
Te sigo com carinho
Abraços regado de ternuras
Preciosa Maria

FlorAlpina disse...

Olá Quicas,
Muita coisa também não sei...
Mas SEI que gosto MUITO, de o ler!

Bjs dos Alpes

Flor da Vida disse...

Poema profundamente lindo! Li, reli, e absorvi a misteriosa magia dos teus versos... Amigo, carinhos... Bjsss

Laura disse...

Oh, que carinho, fiquei tão emocionada por ver a nina das resteas aqui, de sorriso bonito.
Bem hajas amigo pela alegria que me proporcionaste. Sabe tão bem ter os amigos queridos, tão bem, se é para eles e por eles que aqui ando na blogosfera... tentando seguir por caminhos de Luz...

Muito e muito obrigada, adorei a surpresa.

beijinho da laura

Ó quicas, quicas??? hoje andaste no Centro da cidade? passaste na rua que vem do arco da porta nova? eu virei da Sé, e passei por alguém que poderias ser tu mas também não, claro..olhei, mas...serias? Blusão a cor já não lembro...eu levava casaco de malha branco..se fosses ahhh que giro.
Quem sabe um dia.

laura

PRECIOSA disse...

Fique muito feliz com sua visita em meu blog

Fique com DEUS
Abraços carinhoso
Preciosa Maria

Emilia disse...

Amigo,
O seu soneto é construído de uma forma belíssima e transmite um desalento digno de poeta maior!
Parabéns!
Agradeço também a simpatia do seu selo que já coloquei na minha galeria. Deixei no meu espaço um selo que retribui a sua amizade e a gentileza de visitar a minha humilde casa.
Um abraço com amizade

Fátima disse...

Sou a folha caída,
dobrada
A dor desfolhada
A esperança
que não cansa de buscar.
Cheguei aqui por acaso
E pus-me, seu poema, a admirar.
Lindo... Lindo!
Com carinho
Rosa de Fátima

Sandra Botelho disse...

E são essas duvidas que nos fazem procura, busca incontida de nós mesmos...
Bjos achocolatados

Rafael Castellar das Neves disse...

E acho que não tem que se saber mesmo...deixa-se estar e sente-se até onde e como vai...muito bom, Quicas!!

[]s

Pérola disse...

Olá meu grande amigo.
Obrigado pela visita.
Eu sei q estou demorando a visitar os amigos mas é por justa causa,muito trabalho.
Estava lendo a sua postagem muito linda!!!
No fundo não sabemos de nada,o futuro é incerto e o presente uma dádiva.
Parabénssssssssssssssss.

Mar Arável disse...

Saber que não se sabe

já é saber tanto

Abraço

Fernanda disse...

Amigo querido, Quicas!

Gostava muito que fosse conhecer os meus convidados e não só.

"A palavra ancorada no fio da luz
Solta gemidos sentidos
Leva recados do tempo
Vai até ti!"

Maria José Areal.

Beijos