Senhora da Guia


Ao pé das ondas do mar
Ondulantes, cristalinas,
Abertas de par em par
Estão tuas portas salinas!

Em teus altares, a rezar,
Pedindo graças divinas,
Teus fiéis, do marear
Repousam mágoas e sinas.

Luzes de velas no altar,
Andores em roupagens finas,
Enfeites de jardinar,
De navegar, as bolinas.

E da Senhora, no ar
Pendem, calmas e ladinas,
Estrelas que cegam o olhar
Destas almas pequeninas.

Tão marcadas de penar,
Saudosas de ser meninas,
Entoam doce cantar
Fortes mulheres, as varinas.

Aqui sentem seu solar,
Aqui vêm, das esquinas,
Saber o que é amar,
E tornar-se peregrinas!


Fotos de Ju Oliveira

Comentários

Marilu disse…
Querido amigo, tenha um lindo final de semana. Beijocas

Mensagens populares deste blogue

coroai-me de rosas

ao nosso amor, um poema, hoje, cristal

13 de Junho de 1948 - Carolina

amor infindo

ternura