7 de julho de 2011

A minha estrela


Oh bela estrela que, doce, me guia
Em breves passos, caminho adiante,
És luz que brilha, por todo o meu dia
E não se apaga, na noite, um instante!

O sol raiando para mim, não via
Pois, de meus olhos, estavas distante;
Mas eis, te vi, nesta vida, antes fria,
Um novo calor emergiu, vibrante!

Que sei da vida, pois se me esvazia
Sentindo, embora, um viver mais constante?
Não sei da noite pois só vejo dia!

Cantar, quisera mas, não sei que cante
Tal que traduza, qual sinto, a alegria:
Meus pobres versos não dizem bastante!

Foto: Google Imagens

2 comentários:

Clinica Psicologia disse...

Very nice post. hope you continue posting. belo post. espero que continuem a postar online. Pedro

Alma Mateos Taborda disse...

Muy bello soneto a esa estrella hermosa y dulce que te guia. ¡Excelente! Un abrazo.