Ondas do meu mar (menção honrosa em concurso de poesia)



Bravias, mansas, delírios de amor
Em peito ufano, feliz do encanto,
São melodias salgadas, de espanto,
Suaves salpicos de calma, ao calor.

Não são jardins, mal conhecem flor,
Inventam asas, perdem-se no encanto
Do vento norte, com seu triste pranto
E sobre a areia espraiam seu fragor.

Vivem da força, invisível, do vento,
Bebem, da lua, certeiras medidas
E, ao sol, escrevem reflexos brilhantes.

Nos dias longos não sentem que o tempo
Corre, sem parar, enlaçando vidas,
Casais jurando-se eternos amantes.

Foto da Joana (http://olhares.aeiou.pt/juaninha8)

Este soneto mereceu uma Menção Honrosa no Concurso "A poesia ao encontro do tempo", organizado pelo Centro de Cultura de Campos.




Comentários

Andradarte disse…
Parabéns...Gosto também de Pedro Barroso...
Abraço
Parabéns e felicidades.

Maria luísa

Mensagens populares deste blogue

coroai-me de rosas

ao nosso amor, um poema, hoje, cristal

13 de Junho de 1948 - Carolina

amor infindo

ternura