31 de março de 2012

Estrela mensageira



Canta, meu coração,

Canta sem fim!

Livre, espalha

Nas asas do vento

Suave

A voz que gritas em mim:

Vem estrelinha, vem,

Sê mensageira,

Leva ao meu bem,

Numa carícia,

Num beijo doce,

Palpitante,

Toda a força que tem

O meu amor,

Mesmo distante,

Feliz, porém,

De achar um ninho,

De sentir, bem vivos,

Ternura e carinho,

Todo o calor

Que meu ser mendiga!

Estende tua mão brilhante

E, generosa,

Toma meu peito,

Sacrário de amor feito:

Pousa-o na rosa

Mais bela, a Formosa

Musa de meus versos

E… enlaça nossos braços!

Joaquim do Carmo

4 comentários:

Expedito Gonçalves Dias disse...

Estamos sempre a buscar alhures um alvo e motivação para nossas escritas. Você escolheu aqui uma estrela. Às vezes faço isso, embora sempre prefira a lua.
Belo poema. Grande abraço e uma Páscoa abençoada e achocolatada!

Luís Coelho disse...

Um poema com vida
Se o coração cantasse
Se fosse livre
Se pudesse levar os gritos
Que correm dentro de mim.

Um abraço meu amigo.
Votos que o deixe cantar
Canções de beleza sem fim.

Lídia Borges disse...

Tempo de remoçar, de renascer mais forte, mais feliz...

Beijo meu

Uma Páscoa cheia de carinhos e doces.

OutrosEncantos disse...

teu carinho é precioso, Joaquim.
obrigada.

que o teu domingo de Páscoa seja muito feliz.

Beijo.
Maria