Dói o silêncio que resta




Passeavas em meu peito
qual princesa
de um reino sonhado,
vivo e cativante!
Cada aurora no meu sonho,
sorridente, tu cantavas
e, em meus dias,
tais momentos eram hinos
de prazer infindo!

Onde te escondes agora,
por que ocasos te prendeste
e, distante, me fugiste…
que não te vejo mais?

Dos matinais sons primaveris,
só a saudade… triste…
- Dói o silêncio que resta!

Joaquim do Carmo
in"Amanhecer pelo fim da tarde"

Foto de um quadro de Vincent Van Gogh

Comentários

João Rocha disse…
Ola, Joaquim.Tudo OK?

Li e gostei do seu blog premiado.Vou lhe seguir.Acesse o meu blog: http://João Rocha2.
blogspot.com Se gostar do meu blog me siga.Se não,indique-o aos amigos. Combinados? Um abraço.
Parabéns

Mensagens populares deste blogue

coroai-me de rosas

ao nosso amor, um poema, hoje, cristal

13 de Junho de 1948 - Carolina

Montanha

À melhor professora do mundo