14 de fevereiro de 2014

AMOR SEM NOME



De eloquentes silêncios, suspenso,
testemunho de momentos
indesmentíveis,
numa partilha sem limites,
existe!...

Aos lunares humores, indiferente,
ao invés seu aliado,
fiel e constante
em cada noite, cada dia,
resiste!...

Alimenta alegrias, não saudades,
tem no presente sua força,
irresistível,
em cada abraço, cada beijo,
insiste!...

Vai muito além do que vêem os olhos,
mais do que a pele, toca a alma,
sabedoria,
em cada gesto, cada olhar,
persiste!...

Joaquim do Carmo (a publicar)
Foto "Hunging over a red love" de Joana Do Carmo 
© (direitos reservados)

7 comentários:

Ricardo e Regina Calmon disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ricardo e Regina Calmon disse...

Belo e intenso,um sopro de Vida Amor!

Saudades bom e inesquecível irmão amigo!

Viva La Vida

Graça Pereira disse...

Um poema que resiste ao tempo...porque escrito com alma!
Voltei ao meu primeiro amor : ao Zambeziana...para ficar!
Um beijo
Graça

Nota:Gostaria de ter o teu livro "Amanhecer pelo fim da tarde" como faço? Obrigada.

Sotnas disse...

Olá prezado Joaquim, e que tudo esteja bem!

Ainda que sem nome, importa é que seja sincero, autêntico, assim deve ser o amor!

Obrigado por compartilhar mais este teu belo pensamento expressado em bem elaborado e intenso poema, e agradeço também pelas gentis visitas e comentários!

Gosto também das imagens cá compartilhadas!

E assim grato eu desejo que seja sempre deveras intenso e feliz o teu viver e poetar, um grande abraço e, até mais!

Armando Sena disse...

Um ritmo avassalador de sentir.
Um belo poema.
AS

Vieira Calado disse...

Olá. meu caro!
Passei para inteirar-me das novidades e deixo-lhe forte abraço!

Andradarte disse...

Se é amor verdadeiro....terá sempre o amor de alguém...
Lindíssimo poema
Abraço