7 de agosto de 2015

Chamar teu nome...


Chamar teu nome, olhar os olhos teus,
Amor de sempre, bela flor de mar,
É terno ensejo, uma bênção dos céus,
 Qual melodia, ditoso cantar!

Beijar teus lábios, colados aos meus,
Contigo, inteira, os dias partilhar,
Calar o tempo, sem fim nem adeus,
É nobre dita, destino sem par!

Anos e anos passados, enfim,
Os nossos passos testemunham quanto
Amor, sincero, nos mantém assim:

Nos dias todos, grávidos de espanto,
Do alvor ao sol-pôr, o teu e o meu sim
Gritam, da vida, o seu mais doce encanto!

Joaquim do Carmo

Imagem: Tim Parker, Abstract Figure Painting 2010

3 comentários:

rosa-branca disse...

Olá amigo, maravilhoso soneto que amei demais. Beijos com carinho

graça pereira disse...

Dr.Joaquim do Carmo:mto obg pela partilha e parabéns pela beleza do soneto.Quem diria??? Um grande abraço de mto apreço.

manuela barroso disse...

E encontrei-o pelos caminhos antigos que sempre nos levam a Roma!
Parabéns, JC,por mais um soneto excelente dentro das suas baladas de alma!
beijinhos