auto-retrato


Espáduas brancas palpitantes:
asas no exílio de um corpo.
Os braços calhas cintilantes
para o comboio da alma.
E os olhos emigrantes
no navio da pálpebra
encalhado em renúncia ou cobardia.
Por vezes fêmea. Por vezes monja.
Conforme a noite. Conforme o dia.
Molusco. Esponja
embebida num filtro de magia.
Aranha de ouro
presa na teia dos seus ardis.
E aos pés um coração de louça
quebrado em jogos infantis.

  Natália Correia, "Poesia Completa" (1999) 
  Foto: Olhares da Ju ( http://olhares.aeiou.pt/juaninha8 )
  

Comentários

Ricardo Calmon disse…
Coisas das Marias,Loudes,Vitórias....o fundamento de vidas nossas!

Pactum consumatum,Mariae Devotus!

Te abraço,hermano!

viva la vida
direitinho disse…
Por vezes fêmea. Por vezes monja.
Conforme a noite. Conforme o dia.
Molusco. Esponja
embebida num filtro de magia.

Boa escolha.
Poema cheio de vida.
Pérola disse…
Linda a sua postagem meu querido.
São poemas bastante envolvente.
Parabéns e muito obrigado pela visita meu querido.
Beijokas.
quicas disse…
Só para que conste - e se entenda o comentário do amigo Ricardo - esta semana, depois de MÃE e antes de MÃE, MULHER, como ele bem diz, no seu jeito inconfundível, "fundamento de vidas nossas", a MULHER, nas suas tão variadas e cativantes facetas, é a homenageada!
Entre dois "Dias da Mãe" - em Portugal, 2 de Maio, no Brasil 9 de Maio - então, o epílogo em "VIVER É PURA MAGIA"!
Obrigado a todos os que a "nós" se associam nesta cruzada!
Fico cada vez mais encantada com esse espaço.

beijooo.
Pat. disse…
quicas,

Admiro-te cada vez mais amigo meu do coeur. Postagens fabulosas esta semana!
Obrigada por todo o teu carinho e presença em meu blog.
Beijo com respeito e amizade.
Pat.
Fátima Guerra disse…
Olá querido Quicas
Já começa a madrugada por aqui,com o mar colhendo estrelas do céu cintilante.Não poderia deixar de vir para contar que a sua visita enfeitou de sol os olhos da menina na janela, aquela que fica sobre os jardins das poesias.
Carinho sempre e minha admiração pela qualidade de tudo que vc escolhe.
Até!! Bj, Fátima
Amizade Virtual

Por uma tela, os conheci...
Aprendi a amar, a rir e a chorar.
Aprendi a acreditar, pois deles só posso "ver" os sentimentos.
Aprendi a gostar de saber a cor,
o credo, classe social ou algo mais,
coisas típicas de nossa
sociedade material.
Doei...
um pouco de mim, um pouco
de tempo e até de trabalho também.
Mas, recebi muito mais!
Recebi calor humano, carinho e amor
de pessoas que talvez, sem computador,
nem imaginasse existir.
Por força do hábito,
os chamo de amigos virtuais.
Virtuais? Que nada!
São tão reais quanto eu ...
Ah! ... quem me dera o mundo
aprendesse essa lição, aprender a gostar
sem julgar, sem buscar
fatores externos ao amor e à compreensão.
Obrigada por vocês existirem!
Obrigada por serem
simplesmente quem são!

(texto da net).

beijooo.

Mensagens populares deste blogue

coroai-me de rosas

ao nosso amor, um poema, hoje, cristal

13 de Junho de 1948 - Carolina

Montanha

À melhor professora do mundo