Mensagens

A mostrar mensagens de Fevereiro, 2018

Para escutar...

PERGUNTA-ME

Imagem
"Pergunta-me  se ainda és o meu fogo se acendes ainda o minuto de cinza se despertas a ave magoada que se queda na árvore do meu sangue
Pergunta-me se o vento não traz nada se o vento tudo arrasta se na quietude do lago repousaram a fúria e o tropel de mil cavalos
Pergunta-me se te voltei a encontrar de todas as vezes que me detive junto das pontes enevoadas e se eras tu quem eu via na infinita dispersão do meu ser se eras tu que reunias pedaços do meu poema reconstruindo a folha rasgada na minha mão descrente
Qualquer coisa pergunta-me qualquer coisa uma tolice um mistério indecifrável simplesmente para que eu saiba que queres ainda saber para que mesmo sem te responder saibas o que te quero dizer "
Mia Couto, in 'Raiz de Orvalho' Foto: Reprodução de um quadro de Tim Parker

BOM DIA, MEU AMOR

Imagem
"BOM DIA, MEU AMOR * Acordo-me. Acordo-te. Sorrio. E sobre a tua pele que a minha adora, navega o meu desejo, esse navio que sempre parte e nunca vai embora. E como um animal uivando o cio de um milénio, um mês ou uma hora, não sei se morro ou vivo, ou choro ou rio, só sei que a eternidade é o agora. E calam-se as palavras, uma a uma, feitas de sal, saliva, dor e espuma, com a exacta dosagem da alegria. Bom dia, meu amor! O teu sorriso é tudo o que me falta, o que eu preciso para acender a luz de cada dia." * Joaquim Pessoa
Foto de Borisov Dmitry (2011)

O que o teu amor me dá...

Imagem
"O que o teu amor me dá:
a pérola no centro,
a exacta e pequena pérola
por onde a luz se esvai,
num fechar de olhos,
entre nós.
E o riso tão inesperado
nesse campo de cansaço
em que o repouso
cresce, trazendo a razão
aos braços da loucura.
Os teus olhos onde
os meus mergulham, lago
manso da tarde que
empurramos, à janela,
até o dia inteiro
ser madrugada.
E ver-te acordar, como
o brilho que salta de antigas
colinas e se espalha
por frescos lençóis de
onde te roubo, abrindo
a manhã.
Nuno Júdice, in O ESTADO DOS CAMPOS (P. D. Quixote, 2003) Imagem: Reprodução de quadro de Henri Matisse, Pinterest

Hoje é Domingo e... a contagem continua!

Imagem
SONETO
Amor desta tarde que arrefeceu  as mãos e os olhos que te dei;  amor exacto, vivo, desenhado  a fogo, onde eu próprio me queimei; 
amor que me destrói e destruiu  a fria arquitectura desta tarde  – só a ti canto, que nem eu já sei  outra forma de ser e de encontrar-me. 
Só a ti canto que não há razão  para que o frio que me queima os olhos  me trespasse e me suba ao coração; 
só a ti canto, que não há desastre  de onde não possa ainda erguer-me  para encontrar de novo a tua face. 

© EUGéNIO DE ANDRADE  In Os Amantes sem Dinheiro, 1950

Invento-te nas manhãs claras...

Imagem
"Invento-te nas manhãs claras dormindo ainda em sonhos liquefeitos.
Arredondo os braços que procuram as noites inventadas à procura de outro tempo. O manto da minha aurora cobre os segredos proibidos de uma casa que não é tua. O meu peito é agora um planalto onde as nascentes secaram matando de sede todas as flores por nascer. Não nasceram flores, nasceram cactos, continentes de água, que guardam as flores esquecidas entre dunas. E invento-te nos lábios das ondas que pronunciam o teu nome no sibilar sussurrante da espuma . Inventar-te-ei ainda quando o nevoeiro te esconder nos lençóis da noite ou no regaço da bruma . Serei os olhos das estrelas, caindo na tua face uma a uma."
Manuela Barroso, " Eu Poético III "
Foto: "Forbidden paradise", Mira Nedyalkova

Promessa

Imagem
Aproxima-se o 43º. aniversário do meu casamento! Até lá, irei publicar um poema por dia! Dia 1 de Março, espero publicar um inédito meu! Hoje,



"Promessa És tu a Primavera que eu esperava,
A vida multiplicada e brilhante, Em que é pleno e perfeito cada instante."
Sophia de Mello Breyner Andresen in "Antologia", Circulo de Poesia Moraes Editores, 1975 Foto: "Spring has sprung" - Joana Do Carmo