as águas da terra (2)

"MAPUTO

Maputo tem uma dívida permanente com o rio Umbeluzi. A cidade bebe das suas águas. Subo de canoa, contra a corrente, e vou parando nas margens lodosas. Ali, em pleno estuário, o Umbeluzi é rio ou é mar? As águas são salobras, as marés comandam, a vegetação nas margens são típicos mangais. Estamos mais em ambiente marinho que fluvial.




Vejo, então, o pequeno pastor trazendo os bois que se apressam para a margem. Parecem conhecer o provérbio local que diz: "O boi que chega primeiro é o que bebe água mais limpa." O menino senta-se sob uma sombra mais pequena que ele. De uma sacola encardida retira uma xigovia. Sopra na pequena cabaça e faz soar a improvisada flauta. A melodia, confesso, era monocórdica.



Para mim, naquele momento, soava como uma sinfonia. E acenei, da canoa. Não me respondeu. Não me percebeu o gesto. Entendeu, sim, que eu lhe pedia a cabaça. Ainda hesitou, por um momento. Mas, de súbito, fez lançar pelo ar a xigovia. Com algum esforço, juntei ambas as mãos e apanhei o fruto da nsala. Ainda hoje guardo a xigovia desse menino que não terá nome mas que, para mim, tem a história de um encontro."

A pedido do amigo Luís Coelho, apresento um video do YouTube sobre a "xigovia"




IN "Pensageiro Frequente", Mia Couto, 2010, Caminho (outras margens)
Fotos do Rio Umbeluzi: Google Imagens

Comentários

Valvesta disse…
MOMENTOS QUE MARCAM, E SEM DIZER NADA FICA...( EXISTE ALGUMAS PALAVRAS NOVAS PRA MIM NO TEU ESCRITO,MAS COM O TEXTO CONSEGUI ENTENDER)BEIJOS E BOM FIM DE SEMANA MEU CARO AMIGO,ESPECIAL.
Luís Coelho disse…
Olá J. Carmo
Todas as histórias que me falam de África fico em silêncio com se uma magia envolvesse esse conto.
Gostava que mostrasses aqui a
xigovia.
Todos os textos de Mia Couto são belos.
Tere Tavares disse…
Ao ler, com o auxílio das imagens (e mesmo sem elas também é possível, muito) sentirmos como se lá estivéssemos, a olhar um todo de indiscutível beleza.
Abraço
Sonhadora disse…
Meu querido amigo
Adorei o texto,gosto muito de ler Mia Couto, talvez por nos mostrar os cheiros as cores de África.

Beijinhos
Sonhadora
ღPat.ღ disse…
Quicas amado amigo.

Interessante a história e nunca havia ouvido falar em xigovia.

Deixo-te meu beijo e melhor abraço.
Olá querido Quicas

Que texto maravilhoso! Fotos belíssimas.Uma viagem encantadora.
Obrigada por proporcionar momentos tão especiais.
Aliás, basta sua presença para tornar especial qualquer momento.
Carinho,
Fátima Guerra
OutrosEncantos disse…
Excelente ideia a do Luís, já que não sabia do que estávamos falando...
Mia Couto tem uma maneira doce e bela de dizer!
Me emocionei. Não conheço África, mas há uma envolvência mágica sempre que dela se fala!

Lindo, estou gostando, imenso!
Fernanda disse…
Olá amigo Quicas!

O pouco que sei e conheço de África é só do que vejo e leio.
Obrigada por mais esta viagem ao mundo das cores, do calor e das tradições ancestrais...tão distictas das nossas.
Sempre perfeita, envolvente a forma como escreves.
Adorei
Lídia Borges disse…
Ainda não li este, do Mia Couto.
Mas estou ansiosa por poder fazê-lo.

Lindas as imagens seleccionadas. Quanto ao vídeo gostei de ver. É muito interessante.

Um beijo
sonho disse…
Sem conhecer...sentime lá...
Beijo d'anjo
Pat. disse…
Venho deixar meu beijo especial com carinho, para ti meu amigo do coração... que tanto admiro e adoro!

Boa semana!
Mar Arável disse…
Tudo muito belo
Graça Pereira disse…
Amigo
Há tanto tempo que não lia as palavras "massala" e "xigovia"...que saudades... O povo indígena sabe aproveitar bem tudo quanto a natureza lhe oferece...
O UMbelúzi muitas vezes galgou as terras cultivadas por colonos portugueses...como a "Cheia maluca" de 1972...tenho um artigo sobre esses dias difíceis...
E vou continuar a ler a saga...
Bj
Graça

Mensagens populares deste blogue

coroai-me de rosas

ao nosso amor, um poema, hoje, cristal

13 de Junho de 1948 - Carolina

amor infindo

ternura