27 de dezembro de 2007

Um 2008 bonito!



"É com o coração que se vê correctamente; o essencial é invisível aos olhos."


Saint-Exupéry

10 de dezembro de 2007

Wooden Bumps


"...the expected is just the beginning, the unexpected is what changes our lives..."

Foto de Ju Oliveira

5 de dezembro de 2007

Pensamento do dia


"... a chave do sucesso consiste em não permitir que os pequenos problemas se tornem grandes!"

(desconhecido)

5 de novembro de 2007

"analfabetismos"

"O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe que o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, da renda de casa, dos sapatos, dos remédios, dependem das decisões políticas. O analfabeto político é tão burro que se orgulha e enche o peito de ar dizendo que odeia a política. Não sabe, o idiota, que da sua ignorância política nasce a prostituta, o menor abandonado, e o pior de todos os bandidos que é o político vigarista, aldrabão, o corrupto e lacaio dos exploradores do povo."
Bertold Brecht

... ele nem sabe (ou nem quer saber?!) que há já mais de dois milhões de pobres neste país!...

25 de outubro de 2007

A felicidade é uma viagem...


"Le bonheur est un voyage, pas une destination.

Il n'y a pas de meilleur temps pour être heureux...
... QUE MAINTENANT.

Vivez et appréciez le moment present!

(Auteur inconnu)

21 de outubro de 2007

Das palavras... e seus significados!



"... Vista dos confins do espaço, a Terra não é maior do que um grão de poeira. Lembra-te disso da próxima vez que escreveres a palavra Humanidade! (...)"

"Quando alguém se propõe desacreditar o carácter de um homem, não deixará de proceder para que todas as acções desse homem pareçam desonestas, suspeitas, prenhes de motivos dúplices (...)"

"Viagens no Scriptorium", de Paul Auster

15 de outubro de 2007

"Sobolos rios que vão..."

Foto: Amarante, a ponte e o rio.


12 de outubro de 2007

Depressa é muito tempo!

Volto ao problema do tempo! Um problema cuja solução está tão dentro que, por mais que queira, não a vislumbro! E, se calhar, está tão à vista, tão ali ao pé, tão a jeito de quem queira, efectivamente, resolver!
É possível que seja isso, a vontade! Será?!

Foto: "Cheguei primeiro" - Cláudia

12 de setembro de 2007

Já era TEMPO!

As férias já lá vão há alguns dias. Porém, entre as emergências do pós-férias ainda este espaço não ganhou o lugar que talvez deva ter, ou não, quem sabe? Eu, é óbvio, não estou convencido de uma ou outra daquelas possibilidades e, por isso - "mais vale tarde que nunca, diz o povo esse, sim, SÁBIO!" - agora, só ou já, algures decidirei, volto a este cantinho, privado quanto baste para os públicos testemunhos do que, às vezes, penso para mim com os que quiserem partilhar o resultado de tão arriscado exercício! E sublinho "arriscado" porque, nas entrelinhas do que se vai lendo por aí e não só, vai ganhando espaço a ideia (que terrível ideia!...) de que não é impunemente que algum mortal (?) se pode dar ao luxo de pensar, mesmo em privado, quanto mais para publicação?!
Onde fui eu desencantar tão estranho delírio, alguém perguntará ou, eventualmente, tentará apenas pensar, não vá a pergunta ficar sem resposta ou, pior ainda, não poder ser ignorada! Não é sem consequências - não poderá ser, pensará algum mais incauto - que a GENTE (as pessoas, sim!) voltará a valorizar tanto os silêncios que vão calar o que lhe grita por dentro!
Há coisas fantásticas, não há?...

3 de agosto de 2007

É hora!...


De férias, mesmo! Já a seguir...

2 de agosto de 2007

Quase...

Agora, sim, as férias estão aí mesmo à porta!
Nestes últimos dias de trabalho, há que encerrar todos os assuntos pendentes, na medida do possível, não vão sobrar para aqueles que cá ficam!
Também por isso, para além da expectativa relativamente aos dias que aí virão, não sobra muito "espaço" para grandes cogitações acerca do que nos rodeia; aliás, pensar nisso, sequer, será correr sério risco de tornar nublado um ambiente que se deseja límpido, brilhante, sorridente - pois, só mesmo a tal expectativa de umas férias bem vividas pode ajudar!
Pensamento positivo!

30 de julho de 2007

Figuras

Não deve ter sido fácil - que "crente" que eu serei! - para os correligionários do Dr. Marques Mendes, candidato a suceder-se nas respectivas funções no PSD, vê-lo "cair" no Chão da Lagoa, despencado das abas dos chapéus carnavalescos - o dele e o do "dono" da Madeira - para mendigar os votos que lhe irão garantir a vitória sobre o presidente da minha Gaia querida!
Nunca me daria à inutilidade de comentar os respectivos discursos na romaria anual daquela ilha linda, não fora a coincidência de, apesar dos pesares, o defensor acérrimo da ética, da legalidade, quiçá "até" dos bons costumes (de quem?...) não ter evidenciado qualquer esforço para estar em sintonia com os dislates do "eterno Alberto João", tão previsíveis quanto impróprios para um político que se diz "culto" mas teima em contradizer tal presunção, romaria após romaria, despejando sobre "os de Lisboa" - políticos, jornalistas, o sr. silva, o sr. pinto de sousa ou seja quem for que considere tentar afrontá-lo... - os adjectivos mais indecorosos que o seu dicionário lhe vai ditando...
Ele até poderá, quantas vezes (?!)ter razão nas suas reivindicações - "os ditos de Lisboa" não são nenhuns inocentes, convenhamos e, por muito que lhes "custe" admiti-lo, bem invejam a longevidade política do sr. jardim... - só que, pela forma arruaceira como atira os pontos para os iis, quero crer que só por instinto de defesa dos madeirenses ainda os convence da sua justeza.

24 de julho de 2007

Teimando

Bom dia, já não é tarde!
Ainda a vida tenta impôr-se no incerto do novo dia, já me parece que tudo passou, ainda por cima ao lado de mim, sem um esboço de gesto, sequer. É o corropio constante dos minutos, a avalanche de dúvidas sobre cada sim, ou não, ou talvez, enfim, a decisão sobre o instante que não pode ficar só por aí!
Parece complicado, talvez até seja, só que num país em que cada amanhã pode vir a desmentir todos os "hoje", cada ontem corre o risco de NUNCA ter existido, cada sim pode afinal ter querido expressar um rotundo não, para onde devemos OLHAR? Ou será que apenas devemos ver com os olhos dos iluminados pela paisagem dita democrática, aí já negação de si mesma, aí já delapidada da sua razão de ser? Ou será preciso, cada vez mais, dizer efectivamente não às mentiras ditas verdades, às afirmações de apenas intenções, aos projectos apenas fachada?
Eu quero pensar que ainda é possível gritar a verdade, ou o que dela podemos abordar, a espaços que seja, para afirmar o direito a ser!

Em tempo de férias

Ainda não sou eu, mas esses dias virão, assim o espero!
Até lá, o silêncio de alguns espaços, agora com a vida entre parêntesis, transporta ao presente memórias de outras férias que, de tão alegres e sadiamente vividas, confortam os dias que faltam para as substituir - e hão-de ser ainda melhores!
O silêncio, esse companheiro inseparável de momentos de criatividade, de viagens mágicas aos mais recônditos espaços do universo, de paragens que fazem renovar o tempo do "eu", alongar os segundos do hoje ou soar os ecos de amanhãs talvez já vividos é, estou certo, fonte inesgotável de energia e vivacidade, porque íntimo da relação entre mim e eu-mesmo.
Silêncio e férias, é um facto, nem sempre fazem boa vizinhança; talvez, até, para muitos, coabitando, possam prejudicar-se mutuamente! Para mim, porém, um e outras, para o serem, terão que compartilhar o seu tempo e dividi-lo, comigo, à medida dO MEU TEMPO!